Gestão da Emoção para Não Cair Na Crise

“Antes de uma empresa falir, a mente de seus executivos entra em colapso. Antes de profissionais liberais serem excluídos do mercado, a mente deles se engessa.” Augusto Cury

Estamos vivendo numa época onde a competitividade acirrada exclui os mais fracos e o mundo governado pelas tecnologias de informação e comunicação eliminam aqueles que não se adequaram a ele.  O contexto de crise política e econômica traz incertezas na economia e receios para a população brasileira.  Acompanhar a rápida e agressiva evolução do mercado em curto espaço de tempo é questão de sobrevivência e pode ser muito estressante.

Por meio do meu trabalho de desenvolvimento de pessoas e carreiras, eu vejo acontecer a famosa Síndrome de Burnout. Esse distúrbio faz o profissional se sentir cansado, desanimado, sem motivação e, consequentemente, diminui a produtividade e saúde. Seja uma crise pessoal ou  uma crise econômica, cabe ouvir conselhos de especialistas que dizem que é hora de ser criativo, inovar, e de forma alguma estagnar.

Dois fatores  são fundamentais para sobreviver a este cenário: inteligência emocional e alta performance. A questão é que poucos sabem o que fazer para se conquistar essas duas marcas. Características como resiliência, resposta rápidas as situações, adaptação e foco em soluções são pilares para promove-las  e sustenta-las.  Nem sempre é uma tarefa fácil, mas totalmente possível se você quiser ser  líder de si mesmo. Aquele que consegue gerenciar sua mente e seu comportamento, consegue ser um ótimo líder para si mesmo e um brilhante líder para os outros. A Gestão da Emoção é um dos resultados obtidos por meio da metodologia que eu utilizo para treinar e apoiar as profissionais.  A vida  afetiva, social e profissional pode ser muito mais satisfatórias quando se aprende gerenciar os pensamentos, proteger a emoção e desenvolver habilidades socioprofissionais.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *